Brasil: Grupo português Efacec quer crescer por aquisições no mercado brasileiro

6 November 2007

Atlanta, Estados Unidos, 06 Nov – O presidente executivo da Efacec, o maior grupo electromecânico português, afirmou segunda-feira em Atlanta que a empresa vai expandir a sua actividade no Brasil através da compra de uma empresa de engenharia de subestações e centrais de produção de energia.

Em declarações à agência noticiosa portuguesa Lusa, Luís Filipe Pereira disse que o investimento é parte da estratégia de internacionalização do grupo, que assinou na segunda um contrato para a construção de uma fábrica de transformadores de alta potência em Effingham, nos Estados Unidos.

“O nosso objectivo é ser uma empresa global. Em 2008, já mais da metade da nossa facturação será realizada fora do mercado nacional”, afirmou o executivo português.

A Efacec pretende expandir a sua actividade em seis regiões: nos EUA – um de seus mercados mais exigentes e prioritários-, na América Latina (Brasil, Argentina e Chile), na Espanha, no Magreb (Argélia, Marrocos e Tunísia), na África Austral (Angola, Moçambique e África do Sul) e na Europa Central e de Leste (Romênia, Bulgária, República Tcheca, Ucrânia e Hungria).

“Estamos focados nestas zonas. Queremos replicar o que fazemos em Portugal nestas geografias”, frisou Luís Filipe Pereira.

De acordo com o executivo, a Efacec deve facturar 420 milhões de euros em 2007 e triplicar o valor para 1,2 bilhão de euros em 2012. Em 2006, a facturação foi de 370 milhões de euros.

A Efacec possui dez unidades de negócios em três grandes áreas: Energia (50 por cento), Transportes e Robótica (cerca de 15 por cento) e Engenharia, Ambiente e Serviços (35 por cento).

No âmbito da sua estratégia de internacionalização, a Efacec assinou em Outubro passado o maior contrato da sua história, de 210 milhões de dólares, para a construção de três centrais a carvão no Brasil – uma no Maranhão (350 megawatts) e duas no Ceará (359 megawatts). (macauhub)

MACAUHUB FRENCH