Moçambique: Lucros dos bancos duplicaram em 2006, com BIM a reforçar liderança

28 November 2007

Maputo, Moçambique, 28 Nov – Os lucros dos nove bancos comerciais moçambicanos aumentaram duas vezes e meia em 2006, beneficiando do crescimento da economia e da actividade bancária, de acordo com um relatório recentemente divulgado em Maputo.

No ano passado, indica o documento elaborado pela Associação Moçambicana de Bancos e pela consultora KPMG, os nove bancos comerciais que operam em Moçambique lucraram no seu conjunto 2,3 mil milhões de meticais, mais 145 por cento do que em 2005.

Apenas um – o Banco Mercantil e de Investimentos (BMI) – não registou um resultado líquido positivo no ano passado.

O BIM, do Millennium Bcp, registou um crescimento de 259 por cento nos lucros, para 1,6 mil milhões de meticais, distanciando-se do segundo maior, BCI-Fomento, que obteve um resultado líquido de 512 milhões de meticais, mais 143 por cento do que no período homólogo.

O maior crescimento nos lucros (365 por cento) foi registado pelo International Commercial Bank (ICB) de capital malaio, que, contudo, arrecadou apenas sete milhões de meticais.

O BIM mantém-se o maior banco comercial moçambicano, com activos de 24,7 mil milhões de meticais (mais um quinto do que no ano anterior), o que compara com os 7,67 mil milhões de meticais do BCI-Fomento.

Os bancos beneficiaram ainda de um aumento das taxas de juro de referência e dos “spreads” bancários, relacionado com a decisão do Banco de Moçambique de obrigar a conversão dos empréstimos em moeda estrangeira para meticais, que têm juros mais elevados.

Os autores do estudo salientam ainda a “mais prudente” intervenção do banco central ao nível do mercado financeiro, a par de melhorias na gestão dos bancos comerciais, como importantes para a melhoria generalizada do desempenho bancário. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH