Angola: Capacidade de produção do Bloco 17 atinge 700 mil barris em 2011 com novos campos

28 December 2007

Paris, França, 28 Dez – A entrada em operação de novos campos no Bloco 17, a partir de 2011, vai aumentar a capacidade de produção instalada deste para 700 mil barris diários, anunciou quinta-feira em Paris a operadora Total.

“Depois [das zonas de desenvolvimento] de Girassol e Dália, o lançamento da de Pazflor, representa uma importante nova fase na exploração do Bloco 17” do off-shore angolano, de acordo com o comunicado publicado pelo grupo petrolífero francês na sua página electrónica.

A Total adianta que as operações de perfuração dos quatro campos identificados na zona de desenvolvimento – Perpétua, Hortênsia, Zínia e Acácia – terão início em 2009, e que o começo da produção está marcado para 2011.

A produção será feita através de uma unidade flutuante de processamento, armazenagem e transbordo, com uma capacidade de produção diária de 200 mil barris de petróleo, e que pode armazenar até 1,9 milhões de barris.

A capacidade de produção instalada no Bloco 17 sobe, assim, para 700 mil barris diários, refere a Total.

Um dos “desafios técnicos” do projecto, adianta, é o tratamento num só local de dois tipos de petróleo com “características muito diferentes”, pesado e leve, extraídos de reservas diferentes.

A zona de desenvolvimento está situada a 150 quilómetros da costa angolana e tem uma área de 600 quilómetros quadrados, qualificada como “gigante” pela operadora francesa.

A Total E&P Angola tem uma participação de 40 por cento no Bloco 17, também participado pela StatoilHydro (23,33 por cento), Esso Exploration Angola (20 por cento) e BP Exploration (16.67 por cento). (macauhub)

MACAUHUB FRENCH