Moçambique: Governo pretende flexibilizar transporte aéreo

3 January 2008

Maputo, Moçambique, 03 Jan – O governo de Moçambique vai introduzir este ano medidas para flexibilizar o mercado de transporte aéreo, afirmou o ministro dos Transportes e Comunicações, António Munguambe, em entrevista a um programa da Televisão de Moçambique.

O ministro adiantou que as medidas visam reduzir consideravelmente as rotas que são operadas sob regime de mono designação, permitindo a entrada de novas companhias aéreas.

A medida visa adequar o país à convenção de Yamoussoukro, que estabelece que as companhias africanas possam operar livremente sobre todas as linhas intra-estados do continente.

Em entrevista anterior ao jornal Notícias, de Maputo, o ministro dos Transportes e Comunicações disse que a transportadora Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) “tem de se preparar para a concorrência” uma vez que o governo irá abrir algumas rotas regionais a outras companhias aéreas.

Actualmente, cada rota regional é operada apenas por uma transportadora aérea por país, o que significa que as rotas entre Moçambique e a África do Sul são operadas pela LAM e pela South African Airways (SAA).

Mas já este ano todas as rotas regionais exceptuando Maputo-Joanesburgo (a mais frequente e mais lucrativa) serao abertas à concorrência, nomeadamente Beira-Joanesburgo, Maputo-Cidade do Cabo, Pemba-Joanesburgo e Maputo-Durban.

O ministro mostrou-se confiante de que estas medidas permitirão a realização de mais voos e possivelmente mais baratos transportando mais homens de negócios e turistas para Moçambique.

Munguambe admitiu que a LAM não está preparada para o desafio mas advertiu que “tem de se preparar uma vez que o país não pode ficar à sua espera”.

As contas da companhia relativas a 2006, publicadas segunda-feira, mostram que a LAM continua no vermelho, tendo apresentado prejuízos de 109,7 milhões de meticais (cerca de 4,5 milhões de dólares), uma melhoria relativamente aos 130,8 milhões de meticais de 2005.

MACAUHUB FRENCH