Cabo Verde: Enacol volta à cotação após suspensão de mais de um mês

8 January 2008

Lisboa, Portugal, 08 Jan – As acções da Enacol – distribuidora de combustíveis de Cabo Verde – voltarão à cotação a 14 de Janeiro, depois de mais de um mês de suspensão pelo “disparo” do seu preço, afirmou segunda-feira o presidente da Bolsa de Valores de Cabo Verde.

Em contacto telefónico a partir de Lisboa, Veríssimo Pinto disse à agência noticiosa portuguesa Lusa que as investigações efectuadas após a suspensão permitiram concluir que o “disparo” do preço deveu-se à compra de grande número de acções pela Caixa Banco de Investimento (CBI), o equivalente a 6,2 por cento do capital.

O mesmo responsável confirmou relatos da imprensa cabo-verdiana de que o pano de fundo da “corrida” às acções da Enacol era uma disputa pelo controlo da empresa entre os dois principais accionistas, a portuguesa Galp Energia e a angolana Sonangol, na qual a Galp poderia contar com o apoio da CBI.

A Bolsa de Valores, afirmou Veríssimo Pinto, “recomendou aos dois accionistas maioritários a chegarem a uma plataforma de consenso sobre a gestão e os grandes desafios da empresa”.

Na altura da privatização da empresa, em Abril do ano passado, ambos os parceiros tinham 32,5 por cento cada um na distribuidora de combustíveis.

No entanto, de acordo com dados da Bolsa, actualmente a Galp Energia detém 37,5 por cento da Enacol, mais do que os 36,7 por cento da Sonangol CV.

A Caixa Banco de Investimentos tem 6,2 por cento, o Estado 2,1 por cento e os restantes accionistas 17,5 por cento.

A suspensão das acções da Enacol, privatizada em Abril do ano passado, deu-se a 04 de Dezembro.

A Enacol prevê investir 15 milhões de euros entre 2007 e 2009 para ganhar a liderança no mercado dos combustíveis à Shell, empresa à qual conquistou em nove anos 28 por cento da quota de mercado.

Possui actualmente uma rede de 24 postos de abastecimento de combustível, distribuídos por todas as ilhas, enquanto a Shell possui 27 postos. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH