Moçambique: Minas sul-africanas recrutaram menos moçambicanos em 2007

9 January 2008

Maputo, Moçambique, 09 Jan – A indústria mineira sul-africana recrutou em 2007 menos três por cento do que os 46.528 moçambicanos recrutados em 2006, afirmou terça-feira em Maputo José Carimo, director regional para Moçambique e Suazilândia da agência recrutadora Teba.

Em declarações ao jornal Notícias, de Maputo, Carimo defendeu que Moçambique deve adoptar uma estratégia de formação de operários nas áreas consideradas vitais da actividade mineira, por forma a manter a tradição de fornecedor de mão-de-obra para as minas de ouro e de platina da África do Sul.

Do total de mineiros recrutados no ano passado, 36.702 correspondem a renovações de contratos, 7950 a novos ingressos com experiência no trabalho mineiro e apenas 227 casos de indivíduos que nunca antes tinham tido contacto com a actividade na mina.

Segundo Carimo, a redução do número de moçambicanos recrutados para a indústria mineira sul-africana está, sobretudo, ligada à vigência da nova Lei de migração na África do Sul, que, entre outras disposições, restringe o acesso a emprego a estrangeiros sem qualificações.

Antes da introdução da nova lei, em 2002, por exemplo, Moçambique chegou a colocar 50.589 trabalhadores nas minas da África do Sul, dos quais 35717 foram renovações de contratos, 10.318 contratados com experiência no trabalho mineiro e 4554 novatos sem nenhum passado de ligação com aquela actividade.

“Se os factores económicos continuarem favoráveis, 2008 poderá ser um bom ano em termos de oportunidades de emprego de moçambicanos nas minas da África do Sul. Basta dizer que em 2006 a indústria aurífera sul-africana explorou apenas um terço da sua capacidade anual, estimada em 999 mil quilogramas de ouro, o nível mais baixo alcançado desde 1920”, disse José Carimo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH