Moçambique: Atraso nas obras do porto faz perder receitas à província de Quelimane

18 January 2008

Quelimane, Moçambique, 18 Jan – O atraso nas obras de reconstrução do porto de Quelimane foi uma das razões para a província da Zambézia ter fechado 2007 com uma quebra nas receitas, afirmou o governador da província, Carvalho Muária, ao jornal Notícias, de Maputo.

De acordo com o governador, além do atraso nas obras do porto, o que levou a que se não efectuasse através daquela estrutura a exportação dos principais produtos da província, também a proibição da exportação de madeira em toros teve o seu impacto negativo nas receitas.

Assim, enquanto o orçamento provincial previa receitas no montante de 941,7 milhões de meticais, a receita efectivamente arrecadada foi de 728,8 milhoes de meticais, correspondendo a um grau de cumprimento de 76 por cento.

Avaliados em 11 milhões de dólares, os trabalhos de reconstrução do porto tiveram início em Julho de 2007, estando actualmente em exploração 50 por cento da capacidade do porto, uma vez que a metade restante está ainda em obras.

O projecto conta com o financiamento do governo da Alemanha e com uma comparticipação da empersa Caminhos de Ferro de Moçambique na ordem de um milhão de dólares tendo a gestão do porto sido entregue, em Julho de 2004, à empresa Cornelder Quelimane, ao abrigo de um acordo de concessão válido por 25 anos.

Com uma vocação para o serviço de cabotagem, o porto de Quelimane detém um potencial para servir no escoamento do tráfego proveniente do interior da província da Zambézia, onde se produz madeira em regiões como Lugela, tabaco e milho de Milange, entre outras mercadorias que presentemente são escoadas através do porto de Nacala. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH