Moçambique: Conversações com a China sobre energia ainda sem resultado

30 January 2008

Londres, Reino Unido, 30 Jan – O governo de Moçambique iniciou conversações com a China para obter financiamento, particularmente no sector da energia, afirmou segunda-feira em Londres o ministro moçambicano da Energia.

Salvador Namburete disse que a China já manifestou o seu interesse nos recursos energéticos de Moçambique, que incluem gás natural e carvão, mas acrescentou que até à data não foi alcançado qualquer acordo.

O governo moçambicano fez deslocar a Londres o ministro da Energia e o vice-ministro das Finanças, Pedro Couto, a que se associou o Alto Comissário da República de Moçambique no Reino Unido, António Gumende, para participarem num fórum promovido pela Merrill Lynch International dedicado a oportunidades de investimento no sector de energia de Moçambique.

Em comunicado distribuído em Maputo, o Ministério da Energia de Moçambique aponta a participação na iniciativa de “potenciais investidores e financiadores da Europa com reconhecido envolvimento em projectos energéticos a nível mundial”.

Na mesma nota é ainda referido que a iniciativa se insere “no âmbito dos esforços que o governo de Moçambique está a levar a cabo, tendo em vista a superação do défice de energia, que a região da África Austral enfrenta actualmente”.

A África Austral vive uma crise energética, depois de a África do Sul, o principal fornecedor da região, ter anunciado cortes nos abastecimentos, na sequência da escassez que abala aquele país.

O governo moçambicano encara a situação como uma oportunidade para alargar o seu mercado energético, devido ao potencial hidroeléctrico existente no vale do Zambeze, onde já está instalada a barragem de Cahora Bassa.

O gás natural e o carvão mineral, matérias-primas já em exploração no país, são outras apostas do governo moçambicano para se impor no mercado regional. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH