China: Consumo de soja vai aumentar em 2008 levando a mais importações do Brasil

5 February 2008

Pequim,China, 05 Fev– As importações chinesas de óleo de soja, nomeadamente do Brasil, vão representar até Setembro de 2008 um total de 45 por cento de todo o comércio mundial da mercadoria, contra 25 por cento em 2001, segunda dados do sector na China.

Wang Yinji, director-geral da Cofco, a maior empresa intermediária de óleo alimentar chinesa, disse à imprensa chinesa, que se tratam de notícias positivas para o Brasil, maior exportador de soja para a China.

A soja é a maior exportação brasileira para o mercado chinês e o aumento da procura no mercado asiático torna-se confortável para os produtores brasileiros, segundo um estudo da consultora Céleres, com os preços do cereal a atingir máximos históricos na bolsa de futuros agrícolas Chicago.

A China é o maior importador da soja brasileira, tendo em 2007 comprado um terço da produção exportada pelo Brasil, contra 27 por cento em 2006.

Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, o feijão de soja liderou as exportações brasileiras de produtos, com a venda ao exterior de 11,38 mil milhões de dólares, mais 22,3 por cento.

A China, o maior consumidor de óleo de soja do mundo, vai aumentar drasticamente as importações depois de quebras no cultivo doméstico da soja, que causaram um aumento de 50 por cento no preço da matéria-prima nos dez primeiros meses de 2007, explicou Wang Yinji.

Segundo Wang, em declarações ao jornal estatal Shanghai Daily, a China depara-se com numerosas dificuldades para manter os preços do cereal, bem como os do óleo alimentar procedente de plantas e sementes oleaginosas.

O aumento dos preços, afirmou Wang, deve-se também à baixa produção chinesa, restringida pela escassez de terras cultiváveis.

O óleo de soja, segundo Wang, vai manter-se como o principal óleo alimentar na China, com estimativas de 41 por cento do mercado em 2010, contra 37 por cento na actualidade.

“O crescimento económico da China tende a aumentar o consumo de óleo vegetal porque com as melhorias no nível de vida, os consumidores escolhem melhores alimentos”, explicou Wan.

Os preços domésticos do óleo de soja na China atingiram 1000 yuan (139,2 dólares) por tonelada, mais altos que o recorde registado em 1994, segundo fontes do sector, que prevêem que Pequim compre nos mercados internacionais um total de 500 mil a 5 milhões de toneladas de soja. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH