São Tomé e Príncipe: Galp Energia interessada na pesquisa de petróleo e gás natural

26 February 2008

São Tomé, São Tomé e Príncipe, 26 Fev – Responsáveis da empresa portuguesa Galp Energia foram segunda-feira recebidos pelo governo e pela presidência de São Tomé e Príncipe para avaliar da possibilidade de participar em projectos de prospecção de petróleo e gás natural.

Em declarações à agencia noticiosa portuguesa Lusa, Manuel Ferreira de Oliveira, presidente da Galp Energia, afirmou pretender conhecer os planos de pesquisa de petróleo e gás natural do Estado de São Tomé em primeira-mão e testar a possibilidade de participar em alguns desses projectos.

O ministro dos Recursos Naturais são-tomense, José da Graça Diogo, disse que o interesse da petrolífera portuguesa no país pode envolver uma estratégia lusófona e ser alargada à brasileira Petrobras e à angolana Sonangol.

“Temos tido contactos com a parte angolana e com a parte brasileira para se criar uma ‘joint-venture’ entre estas empresas, a Galp e o Estado são-tomense”, afirmou o governante, adiantando ainda que as petrolíferas têm conversado umas com as outras sobre este assunto.

Galp, Sonangol e Petrobras estão também a apoiar o Estado de São Tomé e Príncipe na criação da Petrogas, a futura petrolífera nacional, disse ainda José da Graça Diogo, um dos novos rostos do recém-empossado elenco governativo são-tomense, chefiado por Patrice Trovoada.

Embora confirmada a existência de petróleo e gás natural na Zona Económica Exclusiva são-tomense, é incerto que as jazidas em águas profundas e ultra-profundas sejam economicamente viáveis.

Ao contrário da área de exploração conjunta com a Nigéria, que já tem blocos delimitados e adjudicados na fase de pesquisa, o processo nas águas são-tomenses está bastante mais atrasado.

“O estudo sísmico está elaborado mas falta ainda delimitar as áreas e lançar o leilão”, afirmou o ministro são-tomense, que acha “difícil” ultrapassar estas etapas até ao fim do ano. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH