Brasil: Exportações de tabaco para a China aumentam mais de 200 por cento em 2007

5 March 2008

São Paulo, Brasil, 05 Mar – O Brasil vendeu à China 55 mil toneladas de tabaco em 2007 enquanto que em 2006 as exportações cifraram-se em 17 mil toneladas, disse hoje à Macauhub o presidente do Sindicato da Indústria do Fumo do Brasil (Sindifumo), Iro Schünke.

Apesar do aumento de 223 por cento, o sector não superou os patamares de 2005, quando as exportações para a China somaram 60 mil toneladas, segundo Schünke.

“O número de 2005 deve-se ao facto de que parte do tabaco comprado pela China em 2004 ter embarcado apenas no ano seguinte”, disse o presidente do Sindifumo.

A acentuada queda de 2006 foi consequência da seca na principal região produtora de tabaco no Brasil, o Sul, o que fez com que parte do produto fabricado naquele ano não se enquadrasse nos padrões do mercado chinês.

No ano passado, 7,85 por cento da exportação de tabaco brasileiro teve a China como destino. As vendas totais atingiram o recorde de 700 mil toneladas, um aumento de 25 por cento em relação ao ano anterior (560 mil toneladas).

Quanto às receitas, o crescimento foi ainda maior. Em 2007, as exportações do sector totalizaram 2,2 mil milhões de dólares, 28 por cento a mais que as vendas de 2006, calculadas em 1,72 mil milhões.

“Entre os factores que contribuíram para este desempenho estão a qualidade da colheita de 2007, bem como a venda de boa parte dos stocks remanescentes de colheitas anteriores”, afirmou o presidente do Sindifumo.

A produção da colheita 2006/2007 totalizou 760 mil toneladas, superando a previsão inicial do Sindifumo, que era de 744 mil toneladas.

Em 2007 o tabaco produzido no sul do Brasil foi exportado para mais de 100 países. O Extremo Oriente foi o segundo maior importador, responsável por 16 por cento das compras.

O principal mercado para o tabaco continuou a ser a União Europeia, que absorveu 45 por cento do total das vendas de 2007.

Segundo Iro Schünke, o tabaco representou, em 2007, 1,4 por cento das exportações brasileiras, sendo o terceiro produto agrícola mais exportado pelo Brasil.

O Brasil é o maior exportador e o segundo maior produtor de tabaco do mundo, sendo os seus principais concorrentes os Estados Unidos, Índia, Zimbábue, Argentina e Maláui.

O presidente do Sindifumo disse ainda não haver previsões para as vendas de 2008 para o mercado chinês, já que os compradores chineses visitam o Brasil nos próximos meses para firmar negócios com a empresas locais. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH