Moçambique: Empresa dos caminhos-de-ferro com resultados positivos em 2007

20 March 2008

Maputo, Moçambique, 20 Mar – A empresa Caminhos de Ferro e Portos de Moçambique apresentou um lucro de 247,7 milhões de meticais (cerca de 10,3 milhões de dólares) em 2007, de acordo com os resultados provisórios anunciados quinta-feira em Maputo pelo seu presidente, Rui Fonseca.

Dirigindo-se ao Conselho de Directores, Fonseca disse que a carga processada nos portos do país cresceu 5 por cento para 11,09 milhões de toneladas mas acrescentou que a carga transportada nos caminhos-de-ferro caiu 5 por cento para 736,3 milhões de toneladas-quilómetros, devido à quebra verificada no transporte de mercadorias entre o porto da Beira e o Zimbabwe.

Na sua intervenção, Rui Fonseca disse que a empresa está a investir no material circulante a fim de garantir que a carga é entregue nos seus destinos e adiantou que, em breve, a empresa receberá 40 locomotivas completamente reconstruídas estando 670 carruagens e vagões a ser recuperados nas suas oficinas.

“Isto é o que temos de fazer no imediato mas precisamos de investir na aquisição de mais vagões a fim de transportar minério e outra carga de Moçambique, África do Sul, Suazilândia, Zimbabwe e Botswana para o porto de Maputo”, disse.

O presidente da empresa insistiu na necessidade de aprofundamento do canal de acesso ao porto da Beira, a fim de que possa receber navios com maior calado e deu a conhecer que um novo terminal vai ser construído naquele porto a fim de processar o carvão recebido das minas de Moatize, província de Tete.

A gestão dos principais poertos bem como dos sistemas de caminhos-de-ferro de Nacala e da Beira foram concessionados a consórcios liderados por empresas privadas estrangeiras com Rui Fonseca a dizer que a capacidade da empresa que dirige para supervisonar as concessões deveria ser aprofundada através de nova legislação. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH