São Tomé e Príncipe: FMI aconselha moderação salarial na Função Pública

26 March 2008

São Tomé, São Tomé e Príncipe, 26 Mar – Uma missão do Fundo Monetário Internacional (FMI) que se encontra em São Tomé e Príncipe desaconselhou o governo são-tomense a recorrer ao financiamento externo para proceder a um aumento dos salários na Administração Pública.

A missão, que se encontra em São Tomé para avaliar a situação macroeconómica do país, reconhece que o arquipélago está a ser “negativamente influenciado” pela conjuntura internacional marcada pelo subida constante do preço de petróleo e de produtos alimentares, mas considera mesmo assim que é preciso encontrar formas internas de suportar as despesas.

Num decurso de um encontro realizado terça-feira na capital são-tomense, que reuniu técnicos do banco central, do Ministério das Finanças, de bancos privados, operadores comerciais e de várias outras instituições, o chefe da missão do FMI, Jian-Yewang, afirmou que, apesar do relativo crescimento económico e do perdão da dívida pública, a “estrutura económica do país está muito debilitada”.

E, recordando que o governo são-tomense está actualmente a elaborar o Orçamento Geral do Estado, Jian-Yewang disse ser muito claro que São Tomé e Príncipe tem de viver de acordo com os meios que possui.

O Orçamento Geral do Estado deverá entrar ainda esta semana no parlamento para discussão e aprovação em meados de Abril, mas o aumento salarial ainda está por definir.

Mais de 80 por cento do orçamento é financiado pelos parceiros internacionais, nomeadamente Taiwan que todos os anos contribui com 15 milhões de dólares e o Banco Mundial que já garantiu 4 milhões de dólares.

O primeiro-ministro Patrice Trovoada, em recente entrevista a televisão pública, evitou falar no aumento salarial, defendendo apenas a necessidade de se “abrir uma discussão sobre o salário mínimo nacional”.

Para melhorar a sustentabilidade fiscal, o chefe da missão do FMI sublinhou que o governo precisa definir uma política que reduza a inflação de uma forma sustentada, melhorar a gestão das reservas em divisas e, por último, melhorar o rendimento interno. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH