China constrói estádios desportivos em Moçambique, Angola e Cabo-Verde

7 April 2008

Macau, China, 07 Abr – No ano em que recebe pela primeira vez os Jogos Olímpicos, a China está envolvida também em projectos de construção de grandes infra-estruturas desportivas em Angola, Moçambique e Cabo Verde, a inaugurar até 2010.

A mais recente destas infra-estruturas a ser lançada é o novo Estádio Nacional de Moçambique, com 40 mil lugares, que as autoridades moçambicanas esperam ter pronto a tempo do mundial de futebol na vizinha África do Sul, por forma a poder acolher selecções participantes e eventualmente jogos de preparação, deste modo atraindo visitantes à capital, Maputo.

Tal foi sublinhado na semana passada pelo ministro das Finanças de Moçambique, Manuel Chang, durante a cerimónia de assinatura do contrato em Maputo, frisando por seu lado o embaixador da China, Tiang Guang Feng, que o novo complexo desportivo irá dar aos atletas moçambicanos condições bastante mais favoráveis para a prática desportiva.

Situado no Zimpeto, ao longo da Estrada Nacional 1, o novo estádio financiado pela China irá custar perto de 57 milhões e vinha sendo negociado há vários anos entre os dois países.

Já em 2006 foi assinado um memorando de entendimento entre as autoridades chinesas e moçambicanas, depois de uma equipa de peritos chinesa ter concluído ser a opção Zimpeto a mais vantajosa, relativamente a outras localidades nos arredores de Maputo que até aí se consideravam, como Marracuene, Matola e Boane.

Este será o primeiro empreendimento do género a ser construído em Moçambique após a independência, e terá uma dimensão semelhante à do actual grande estádio da capital moçambicana, da Machava, construído pela administração colonial portuguesa com capacidade para 45 mil pessoas.

Será ainda a quarta grande infra-estrutura que o governo chinês vai erguer no país, ao abrigo do acordo de cooperação com Moçambique.

Em 15 anos, este acordo já possibilitou a construção da Assembleia da República e o Centro de Conferências Joaquim Chissano, além do edifício onde funciona o Ministério das Relações Exteriores e a Cooperação de Moçambique.

A cerimónia de lançamento da primeira pedra do Estádio Nacional de Moçambique terá lugar durante o mês da Abril, e prevê-se que entre em funcionamento em Julho de 2010.

O mesmo prazo de conclusão tem aquele que também promete ser um dos estádios de referência na sua região: o novo Estádio Nacional de Cabo Verde com capacidade para 20 mil pessoas.

Segundo escrevia recentemente o jornal cabo-verdiano Voz di Povo, a infraestrutura vai resolver um dos grandes problemas enfrentados pela Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) na realização de jogos internacionais da selecção – a falta de condições, principalmente do relvado, do estádio habitualmente utilizado, Várzea.

Tal como Moçambique, Cabo Verde espera também poder capitalizar com a organização ou colaboração em grandes eventos desportivos continentais e internacionais, como as próximas edições do Campeonato Africano das Nações (CAN).

O estádio, que vai ficar situado no zona de Monte Vaca, arredores da Cidade da Praia, será dotado de uma pista de atletismo que vai criar as condições para a prática das várias disciplinas dessa modalidade.

Espera-se que as obras arranquem nos próximos meses, de modo a estarem prontas em 2010.

Para a mesma altura está prevista a abertura daquele que será o maior estádio construído por empresas chinesas nos países africanos lusófonos: o de Luanda, com 50 mil lugares.

Principal palco do CAN 2010, o novo estádio foi adjudicado à China Electronics Import & Export Corporation (CEIC), por ajuste directo com o governo angolano.

O consórcio, em que participam ainda as britânicas Urbinvest e Arup, com projecto da autoria do gabinete de arquitectura português Mário Sua Kay, vai também edificar o Estádio de Benguela, infra-estrutura para 35 mil pessoas.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH