Angola: Sonangol vai comprar 49 por cento do Banco de Fomento Angola

21 April 2008

Luanda, Angola, 21 Abr – O Banco de Fomento Angola, do grupo português Banco BPI, acordou em ceder 49 por cento do seu capital à Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol), informou em Luanda o jornal Semanário Angolense.

O jornal acrescenta que a administração do BFA, até à data o único banco comercial a operar em Angola de capital 100 por cento estrangeiro, aceitou aumentar para 49 por cento a participação a ceder à Sonangol, acima dos 40 por cento que o banco se dispusera inicialmente a oferecer à petrolífera angolana.

As negociações entre as partes arrastavam-se há mais de 10 meses tendo-se agudizado em Setembro quando o BFA renunciou ao acordo que estabelecera com as autoridades angolanas, ao abrigo do qual faria parte de um sindicato bancário para financiar projectos governamentais, orçados em 3,5 mil milhões de dólares.

Após a renúncia, o BFA foi notificado pela Sonangol da sua decisão de retirar os activos que tinha naquele banco, o que levou o seu presidente, Emílio Pinheiro, a contactar de imediato as autoridades governamentais angolanas, de quem recebeu a sugestão de que deveria resolver o problema com o seu cliente.

O governo aproveitou a oportunidade para sugerir ao BFA que negociasse com a Sonangol não só uma solução que levasse a companhia angolana a rever a sua decisão de retirar os seus activos, como também oferecesse alternativas capazes de suavizarem o impacto da sua decisão de se retirar do sindicato bancário.

A inclusão desse banco no sindicato tinha sido sugerida ao governo pela petrolífera angolana, que há algum tempo vinha negociando com o BPI, a holding que controla o BFA, a compra de uma percentagem neste banco.

Fonte ligada à petrolífera angolana disse ao Semanário Angolense que as consultas acabaram bem e que a consumação do acordo que garante 49 por cento do banco à Sonangol está para breve. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH