Macau: Governo anuncia que não serão concedidas mais licenças para casinos

23 April 2008

Macau, China, 23 Abr – O Chefe do Executivo de Macau, Edmundo Ho, anunciou terça-feira que não serão concedidas mais licenças para a abertura de casinos em Macau e que fica proibido o aumento do número de mesas de jogo e de “slot machines”.

Edmundo Ho, que falava na Assembleia Legislativa de Macau, disse, no entanto, que os projectos já aprovados ou a serem analisados vão manter-se.

O Chefe do Executivo garantiu ainda que os novos aterros que deverão ser construídos em Macau “não serão utilizados para novos casinos”.

“A liberalização do jogo (em 2004) teve muitos aspectos positivos, nomeadamente o aumento das receitas públicas (…) mas é necessário mais controlo sobre o sector de forma a aumentar a segurança permanente da economia de Macau” disse ainda Edmundo Ho.

Actualmente estão licenciados em Macau 29 casinos pertencentes a três concessionários e três subconcessionários.

O Secretário para a Economia e Finanças do Governo, Francis Tam revelou, entretanto, que no futuro o número de casinos em Macau não ultrapassará 40.

Francis Tam disse à Agência de Notícias de Portugal que na península de Macau será apenas aprovado mais um casino ficando os restantes localizados no aterro entre as ilhas da Taipa e Coloane voccionado para a construção de casinos, hóteis e locais de entretenimento.

No final do primeiro trimestre, os casinos de Macau tinham em funcionamento 4.311 mesas e 13.552 slot machines que segundo as medidas anunciadas terão, a partir de agora, “de estar afastadas das zonas residenciais”.

As receitas brutas do jogo em Macau cresceram 62 por cento durante os três primeiros meses do ano, quando comparadas com igual período de 2007, e atingiram 30.085 milhões de patacas (3.760 milhões de dólares). Em 2007 a receita bruta foi de 83.800 milhões de patacas.

Macau registou um saldo orçamental positivo de 10.109,1 milhões de patacas no primeiro trimestre de 2008, com as receitas a ultrapassarem 13.000 milhões, quase um terço do previsto para 2008.

Edmundo Ho anunciu também na Assembleia Legislativa que o governo de Macau vai distribuir 2.380 milhões de patacas (297,5 milhões de dólares) aos 527 mil residentes de Macau para “atenuar” os efeitos da inflação nos orçamentos familiares.

O Chefe do Executivo revelou que, já em Julho, cada residente permanente de Macau receberá 5.000 patacas (625 dólares) e cada residente não-permanente receberá 3.000 patacas (375 dólares).

O Governo de Macau anunciou recentemente a concessão de 814 milhões de patacas destinados a combater os efeitos da inflação, nomeadamente através de uma comparticipação mensal na tarifa de electricidade, subsídios de apoio aos mais desfavorecidos e complementos salariais para as famílias de menores rendimentos. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH