Macau: Consórcio Consulgal/MTR e empresa Egis Rail aceites no concurso para a gestão do projecto do metro ligeiro

29 April 2008

Macau, China, 29 Abr – O governo de Macau aceitou segunda-feira as propostas de um consórcio português e de Hong Kong e de uma empresa francesa interessadas na gestão de projecto e assistência técnica para a implementação da primeira fase do sistema de Metro Ligeiro de Macau que será construido no território.

O metro ligeiro, cuja construção começará em 2009 e deverá estar concluída até 2011, custará cerca de 4,2 mil milhões de patacas (525 milhões de dólares).

O Gabinete para as Infra-estruturas de Transportes de Macau aceitou as propostas da EGIS Rail da França e do consórcio formado pela Consulgal de Portugal e a MTR Corporation de Hong Kong e rejeitou a proposta da empresa de Singapura CPG Corporation.

A prestação dos serviços de assessoria compreende a análise, aferição e optimização do estudo preliminar de implementação do sistema de Metro Ligeiro, incluindo o modelo de gestão, forma de exploração, captação de passageiros e custos do projecto.

A empresa escolhida será ainda responsável pela preparação dos cadernos de encargos para o processo de adjudicação do fornecimento do sistema e material circulante e da empreitada de concepção/construção de construção civil.

Com 23 estações a ligarem a zona das Portas do Cerco, a fronteira terrestre com o continente chinês, e a zona do Pac On, na ilha da Taipa, junto ao Aeroporto Internacional de Macau, passando pelo centro da cidade, a primeira fase do metro ligeiro será construído em plataforma elevada numa extensão de 20 quilómetros.

O metropolitano ligeiro vai funcionar de forma automática (sem condutor), pode atingir uma cadência por estação de três minutos e, em cada sentido, terá uma capacidade máxima de transporte de 152 mil passageiros por dia.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH