Timor-Leste: Reformas para estimular negócios mais urgentes do que uso de receitas petrolíferas – FMI

5 May 2008

Washington, Estados Unidos da América, 05 Mai – Timor-Leste tem de acelerar reformas, sobretudo legislativas, para estimular a actividade empresarial e criar empregos não sendo necessário recorrer no imediato às receitas petrolíferas, afirma o Fundo Monetário Internacional (FMI).

A recomendação é feita no comunicado final da última missão do FMI (16-30 Abril) a Timor-Leste, divulgado quinta-feira, que sublinha que o dinheiro do petróleo e gás continua a afluir e que o sector não-petrolífero recuperou em 2007, impulsionado pelos gastos do governo e doadores, depois de forte quebra no ano anterior devido à insegurança e conflitos.

“A actividade privada foi prejudicada pela situação de segurança e pela seca, que afectou a agricultura”, segundo o comunicado da missão chefiada por Susan Creane, sub-directora do Departamento Ásia e Pacífico do FMI.

A missão reuniu-se com o Ministério das Finanças timorense, representantes do sector privado e da sociedade civil e avaliou algumas das políticas de curto prazo do governo, em particular na segurança alimentar, que considera poderem ser asseguradas sem um aumento do nível de despesa actual.

Tal aumento, afirma, poderia até agravar a inflação e levar ao desperdício, dada a baixa capacidade institucional.

No comunicado, o FMI regista ainda positivamente ainda as iniciativas do governo para estimular o sector privado, nomeadamente o desenvolvimento de um registo de crédito e do sistema de supervisão bancária. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH