Macau e Cabo Verde recebem encontros económicos com comércio a nível recorde

19 May 2008

Macau, China, 19 Mai – Macau e Cabo Verde serão palco nas próximas semanas de encontros de agentes económicos do espaço China – Países de Língua Portuguesa, cujo comércio está em níveis recorde e continua a crescer em força.

As mais recentes estatísticas alfandegárias chinesas indicam que nos dois primeiros meses do ano os países de língua portuguesa e a China trocaram bens e serviços no valor de 9.377 milhões de dólares, mais 88,6 por cento do que no mesmo período do ano passado.

As exportações da China para os países lusófonos cresceram 105,5 por cento, para 2.893 milhões de dólares, mas as importações continuam a valer mais – 6.483 milhões, mais 59,2 por cento do que no período homólogo.

Brasil e Angola continuam a ser os principais parceiros comerciais entre este grupo de países e não há sinais de abrandamento do crescimento.

No caso brasileiro, as trocas cresceram 73,7 por cento, para 5,47 mil milhões de dólares, com as importações (3,21 mil milhões) a valerem mais do que as exportações (2,25 mil milhões).

Angola, que já é o maior fornecedor de petróleo da China, registou o segundo maior aumento – 146,9 por cento (para 3,52 mil milhões), com importações e exportações a crescerem ambas na casa dos três dígitos.

O maior aumento registou-se nas trocas com São Tomé e Príncipe – 464,8 por cento – mas a partir de valores baixos (460 mil dólares).

Cabo Verde registou o terceiro maior aumento – 128 por cento – seguido de Brasil e Guiné-Bissau (45,5 por cento).

As excepções foram Portugal (crescimento nulo nas trocas comerciais), Moçambique (menos oito por cento) e Timor-Leste (menos 50,9 por cento).

É neste contexto que Macau recebe esta semana, a 23 de Maio, o Fórum para a Cooperação entre as Empresas Privadas da China e os Países Africanos (Macau)”, organizado pelo Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) e pelo “China – Africa Business Council.

O papel de Macau na cooperação económica e comercial entre empresas privadas da China e dos países africanos de língua portuguesa estará em destaque no Fórum, que reunirá ainda industriais e comerciantes de chá que vão debater o actual comércio entre a China e a África e o seu futuro desenvolvimento.

Macau, afirma o IPIM, pode ter um papel importante no “desenvolvimento actual do comércio de chá, no âmbito da cooperação económica entre a China e os países africanos”, nomeadamente como plataforma das informações do mercado e de intercâmbio para as empresas privadas do interior da China.

Participam no Fórum o presidente do “China – Africa Business Council”, Hu Deping, o presidente do Conselho de Negócios China – África de Macau, Ma Iao Lai e o representante-adjunto na China do Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas (UNDP), Ranaud Meyer, entre outros.

Na próxima semana, de 28 a 30 de Maio, será a cidade da Praia, Cabo Verde, a receber a edição deste ano (4ª) do Encontro de Empresários para a Cooperação Económica entre a China e os Países de Língua Portuguesa, que se realiza de forma rotativa pelos países subscritores do Protocolo de Cooperação multilateral.

Organizado pela Agência Cabo-verdiana de Investimentos, pelo CCPIT- Conselho de Promoção de Comércio Internacional da China e pelo IPIM, o evento tem como objectivo reforçar a cooperação e o intercâmbio económico entre a China e os Países de Língua Portuguesa.

Em particular, pretende-se identificar oportunidades de negócio nas áreas de comércio, investimento, cooperação tecnológica, financiamento e estabelecimento de “joint-ventures” entre os empresários dos países envolvidos. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH