Moçambique: Governo poderá comprar arroz na China para enfrentar crise alimentar

21 May 2008

Maputo, Moçambique, 21 Mai – Moçambique poderá comprar arroz na República Popular da China para fazer face à crise alimentar mundial, disse o ministro da Indústria e Comércio e Turismo,António Fernando, que recentemente visitou a China.

O ministro disse ainda que, Moçambique poderá comprar quantidades “suficientes para abastecer o mercado” nos próximos seis meses.

António Fernando disse que a compra de arroz chinês ajudaria ajudaria Moçambique a fazer face a crise de cereais que se faz sentir.

O ministro da Indústria e Comércio e Turismo não revelou as quantidades de arroz que Moçambique pretende comprar à China mas assegurou que se “trata de quantidades que achamos suficientes para o mercado nos próximos seis meses”.

A declaração do ministro da Indústria e Comércio e Turismo surge pouco tempo depois de o Banco Árabe para o Desenvolvimento em África (BADEA) ter manifestado este mês, quando da última visita do seu presidente, Abdelaziz Khelef, a disponibilidade daquela instituição em conceder
empréstimos a Moçambique para fazer face à actual crise de alimentos.

Segundo o ministro da Agricultura, Soares Nhaca,Moçambique tem défice de produção do arroz para o corrente ano na ordem das 315 mil toneladas.

As previsões de produção global de cereais em Moçambique em 2007 apontavam para 2,1 milhões de toneladas. Deste universo, 1,4 milhão de toneladas são de milho.

O BADEA tem apoiado vários projectos de desenvolvimento em Moçambique entre eles a defesa da orla marítima e a balança de pagamentos.

As relações entre Moçambique e o BADEA remontam a 1975, altura em que foi assinado o primeiro acordo visando apoiar a balança de pagamentos.

Moçambique tem vários projectos de produção de arroz em várias províncias do país, os quais contam com a participação de técnicos indianos.(Macauhub)

MACAUHUB FRENCH