Moçambique: Governo deve mitigar efeitos sociais da subida preços – FMI

30 May 2008

Washington, Estados Unidos da América, 30 Mai – O governo moçambicano deve tomar medidas sustentáveis para mitigar os efeitos sociais da subida dos preços dos combustíveis e bens alimentares, recomendou quinta-feira o director-adjunto do Fundo Monetário Internacional.

A recomendação do brasileiro Murilo Portugal consta do relatório da segunda revisão do desempenho económico de Moçambique ao abrigo do Instrumento de Apoio a Políticas (PSI) apoiado pelo FMI, que considera “satisfatória” a evolução nos últimos meses, mas deixa vários avisos às autoridades de Maputo.

“Será importante para o governo usar medidas sustentáveis fiscalmente e bem direccionadas para mitigar o impacto social de novos aumentos nos preços do petróleo e alimentação, ao mesmo tempo resistindo à pressão de gastos insustentáveis relacionados com as eleições”, afirma Portugal.

Para o adjunto do FMI, “também será importante garantir que o salário dos funcionários públicos e as pensões não comprometam a estabilidade fiscal”.

Apesar dos elevados gastos na importação de combustíveis e alimentos, o nível crescimento económico moçambicano resiste e a inflação anual recuou.

O FMI identifica “progressos” na administração fiscal e gestão das finanças públicas e em particular na implementação do sistema informático de administração dos dinheiros do Estado (e-SISTAFE).

O mesmo aconteceu na implementação no regime fiscal do sector mineiro e petrolífero, mas o FMI salienta que a adesão à Iniciativa para a Transparência nas Indústrias Extractivas contribuiria para atrair ao país africano mais negócios. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH