Cabo Verde: Vive-se melhor mas subsistem disparidades entre interior e cidades

17 June 2008

Praia, Cabo Verde, 17 Jun – O nível de vida dos cabo-verdianos tem melhorado mas ainda há grandes disparidades entre concelhos rurais e urbanos, de acordo com dados segunda-feira divulgados na cidade da Praia pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

O Questionário Unificado de Indicadores Básicos de Bem-estar (QUIBB-CV 2007) revelou que a taxa de desemprego era de 21,7 por cento (21,1 por cento em 2006), mas enquanto Sal e a Boavista apresentam taxas inferiores a 10 por cento, nos concelhos de Santa Cruz (Santiago) e Santa Catarina (Fogo) a taxa ronda 30 por cento.

De acordo com o presidente do INE, António Duarte, são visíveis neste estudo as disparidades entre os concelhos considerados urbanos e os rurais.

O questionário apresenta indicadores sobre as características demográficas da população, bem como informações sobre acesso, utilização e níveis de satisfação dos serviços básicos como Saúde e Educação.

Segundo António Duarte, o estudo é o mais abrangente a nível nacional, já que apresenta dados relativos a todos os concelhos.

O INE realizou o inquérito a 8.335 agregados familiares de Novembro de 2007 a Janeiro de 2008, sendo o segundo que fez para aferir da pobreza e das condições de vida dos agregados familiares.

Além dos indicadores de condições de vida, como acesso à habitação, água potável, electricidade, saneamento e posse de casa de banho, evacuação de águas residuais e sistema de recolha de lixo, o QUIBB-CV avalia ainda o acesso, procura e nível de satisfação quanto aos serviços de saúde e educação, nível de desemprego, utilização de Internet e percepção da população sobre o desenvolvimento do país. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH