Moçambique: Moza Banco abre portas de olhos postos na agricultura, biocombustíveis e energia

17 June 2008

Maputo, Moçambique, 17 Jun – O Moza Banco vai apostar em agricultura, biocombustíveis e energia, áreas de “grande significado para o futuro económico de Moçambique”, disse segunda-feira em Maputo o presidente da assembleia geral da instituição, António Almeida Santos.

Em declarações à agência noticiosa portuguesa Lusa, Almeida Santos sublinhou o significado da abertura do Moza Banco – uma parceria entre a Geocapital, do empresário de Macau Stanley Ho, e um conjunto de 218 accionistas moçambicanos.

Para Almeida Santos, as áreas que o banco – associado ao Moza Capital, o banco de investimentos “gémeo” – irá privilegiar vêm dar resposta prática aos “problemas do momento”.

Almeida Santos aludiu ao vale do Zambeze como uma das regiões de Moçambique a que o banco estará particularmente atento.

O interesse do banco em investimentos no vale do Zambeze foi também destacado pelo presidente do Moza Banco, o economista moçambicano Prakash Ratilal.

Prakash Ratilal adiantou ainda que o Moza Banco está a intermediar uma operação financeira entre o Eximbank da China e “um grande grupo empresarial moçambicano” para “aquisição de maquinaria e equipamento agrícola”.

O banco segunda-feira inaugurado resulta também da circunstância de Macau constituir actualmente para a China uma ponte para os países africanos de língua portuguesa, como disse Jorge Ferro Ribeiro, presidente da Comissão Executiva do banco e parceiro do empresário de Macau Stanley Ho na empresa Geocapital – accionista de referência do novo banco, com 49 por cento do capital.

Detido em 51 por cento pela Moçambique Capitais, que congrega pessoas singulares e colectivas de Moçambique, o Moza Banco tem um capital inicial de 10 milhões de dólares. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH