Moçambique: FMI elogia Moçambique e propõe segunda geração de reformas para atingir objectivos do milénio

25 June 2008

Maputo, Moçambique, 25 Jun – O Fundo Monetário Internacional (FMI) apontou terça-feira Moçambique como “um dos poucos países bem colocados para alcançar os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM), desde que “implemente firmemente uma segunda geração de reformas”.

A confiança do FMI na capacidade de Moçambique cumprir os ODM, que a ONU aponta como o caminho para a redução da pobreza no mundo, através do alargamento de serviços sociais básicos, é parte de uma avaliação daquela organização apresentada em Maputo, com o título “Economias em Período de Pós-Estabilização na África Subsahariana – Lições de Moçambique”.

No resumo do documento, apresentado por Jean Clément, que chefiou recentemente uma missão do FMI que verificou no terreno as avaliações obtidas por Moçambique na luta contra a pobreza, refere-se que o país está avançado rumo ao alcance daquelas grandes metas.

“Moçambique é um dos poucos países subsaharianos que aparecem bem colocados para alcançar os grandes Objectivos de Desenvolvimento do Milénio fixados pelas Nações Unidas para a redução da taxa da pobreza para metade até ao ano de 2015”, disse Clément.

A recuperação da economia moçambicana permitiu que o país apresente agora um dos mais baixos níveis de desigualdade social em África, através da diminuição da pobreza nas zonas rurais, onde vive a maioria da população moçambicana, segundo a avaliação.

Apesar do bom desempenho, Moçambique ainda se debate com uma acentuada prevalência da miséria no campo e o rendimento “per capita”, bem como os indicadores de desenvolvimento humano, continuam a ser relativamente baixos, afirma o FMI.

Para inverter esse cenário e alcançar efectivamente os ODM, o país deve apostar numa segunda geração de reformas, assentes na “correcção das grandes lacunas em termos de capital humano e de infra-estruturas”, lê-se no documento. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH