São Tomé e Príncipe: Nigéria e STP reunidos para debater exploração petrolífera

8 July 2008

São Tomé, São Tomé e Príncipe, 8 Jul – São Tomé e Príncipe e a Nigéria iniciaram uma reunião visando a conclusão do primeiro leilão de seis blocos de petrolíferos da zona conjunta, anunciou segunda-feira em São Tomé o presidente da autoridade conjunta, Jorge Santos.

Além da análise da proposta de contrato para partilha de produção de dois blocos, cujos processos de adjudicação estão ainda por concluir, Jorge Santos disse que o Conselho Ministerial Conjunto analisará ainda uma proposta para adjudicação à petrolífera norueguesa Petroleum Geo-Service (PGS) de um contrato para a realização de pesquisas sísmicas.

A contratação da PGS visa a realização de novo estudo sismico da zona de comum acordo, localizada em águas profundas, numa perspectiva de se lançar um novo leilão de três blocos, previsto para Outubro de 2009.

O responsável da autoridade conjunta de exploração disse ainda que as duas partes vão analisar um pré-acordo que visa o estabelecimento de segurança e protecção na zona de exploração conjunta bem como uma proposta de desistência da empresa petrolífera Enviromental Remediation Holding Corporation, de gestão nigeriana, num dos blocos em leilão.

As petrolíferas, nomeadamente a Addax Petróleum, Anadarko, Chevron-Texaco e a a Sinopec são as que detêm o direito de exploração dentre os quatro blocos da zona, na sequência dos contratos de partilha de produção já concluídos pelo Conselho Ministerial Conjunto, orgão de decisão política que reune quatro ministros de cada país.

Estabelecido em Fevereiro de 2001, o tratado de exploração conjunta entre os dos países estabelece 60 por cento de receitas para Nigéria e restante 40 para São Tomé e Príncipe. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH