Moçambique: Empresas autorizadas a fazer prospecção e pesquisa de diamantes na bacia do rio Save em Moçambique

18 July 2008

Maputo, Moçambique, 18 Jul – Oito empresas foram autorizadas a fazer prospecção e pesquisa de diamantes na bacia do rio Save, na província de Sofala, onde as condições geológicas dão indicações da provável existência daqueles minerais, informou a agência noticiosa moçambicana AIM.

Trata-se das empresas Save, M’panda, Preciosa – Sociedade de Exploração de Gemas e Pedras Preciosas, Geominas, Monte Binga, Manica Land Mining e Sivas, além de um cidadão de nome Amílcar Octávio Paulo, todos seleccionados através de um concurso público lançado a 16 de Março último e participado por 15 concorrentes.

Na maioria dos casos, empresas estrangeiras coligaram-se com moçambicanas em regime de parceria, por forma a cumprir um dos requisitos exigidos pelo Estado, segundo o qual em projectos daquela natureza deve haver envolvimento de nacionais.

De acordo com o director nacional adjunto de Minas, Obete Matine, o Governo decidiu lançar um concurso público para a prospecção e pesquisa de diamantes por haver indicações de que este mineral existe no país, bem como pelo facto de se ter registado um elevado número de empresários interessados em pesquisar este produto para posterior exploração.

Espera-se que até Agosto próximo os contratos sejam assinados, para dois meses depois receberem o visto do Tribunal Administrativo, posto o que se deverá iniciar a actividade no terreno, ao que se pensa a partir de Novembro.

O director salientou que, paralelamente a este trabalho, será necessário avançar com a adesão de Moçambique ao Sistema de Certificação de Diamantes de Kimberly, que é um acordo firmado para eliminar o comércio de “diamantes de guerra”, pedras que são trocadas por armas de fogo financiando conflitos armados em países africanos. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH