Angola: Presidente da Endiama pretende cooperação japonesa para a formação de quadros

4 August 2008

Hamamatsu, Japão, 04 Ago – O presidente da Empresa Nacional de Diamantes (Endama), Manuel Arnaldo Calado, manifestou na passada semana em Hamamatsu, Japão, o interesse em obter a cooperação de empresas japonesas na formação de quadros para o sector diamantífero angolano.

Arnaldo Calado falava num encontro com o industrial japonês Yoshikatsu Kawashima, presidente do grupo empresarial com o mesmo nome, de acordo com uma nota de imprensa da Embaixada de Angola no Japão, citada pela agência noticiosa angolana Angop.

Calado apontou como prioridades na cooperação com o Japão a formação de quadros em diversas especialidades, com realce para a lapidação, joalharia, medicina, logística e leitura de satélites.

Acompanhado pelo embaixador de Angola no Japão, Albino Malungo, Arnaldo Calado disse que pretende contar igualmente com a cooperação japonesa na montagem de um laboratório de mineralogia e num projecto de “construção de casas rápidas, mas de longa duração”.

Declarou que a Endiama está receptiva ao investimento primário (prospecção e produção) e que “abre portas à venda de diamantes em bruto”.

Com sede na cidade de Hamamatsu, o grupo Kawashima é constituído por 40 empresas e opera, entre vários domínios, na comercialização de diamantes, produção de ligas de alumínio, análise de metais raros e metais não-ferrosos, imobiliária e hotelaria. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH