Moçambique: Importação de combustíveis cai mas factura aumenta

7 August 2008

Songo, Moçambique, 7 Ago – A importação de combustíveis por Moçambique registou uma quebra de 38 mil toneladas para 262 mil toneladas no primeiro semestre em comparação com o período homólogo de 2007, informou o jornal Notícias, de Maputo.

Citando dados divulgados no decorrer dos trabalhos do IV Conselho Coordenador do Ministério da Energia, a ter lugar no Songo, sede distrital de Cahora Bassa, Tete, o jornal diz apesar da importação ter registado uma quebra a factura aumentou 39 por cento, tendo em conta que os combustíveis adquiridos no primeiro semestre de 2007 custaram cerca de 186 milhões de dólares, contra os mais de 260 milhões gastos este ano.

De acordo com os números apresentados no primeiro dia do encontro, de 2005 até hoje os custos de importação dos combustíveis duplicaram, dado que naquele ano gastava-se cerca de 400 milhões de dólares na compra de fuel oil, gasóleo, gasolina e gás de cozinha, contra os 800 milhões de dólares necessários actualmente.

Quanto à energia eléctrica, os dados apresentados indicam que a produção global no primeiro semestre deste ano decresceu de 8185.235 MWh para 6906.448 MWh comparativamente a igual período do ano passado. O facto deveu-se, em grande medida, a obras de recuperação da subestação Apollo, na África do Sul, que é um ponto de recepção da energia produzida na Hidroeléctrica de Cahora.

Entretanto, falando na abertura da reunião, o Ministro da Energia, Salvador Namburete, destacou o facto de a partir da última terça-feira as sedes distritais electrificadas terem aumentado para 72, com a ligação de Massingir, na província de Gaza, efectivada naquela noite.

Até finais deste ano, o país terá 82 sedes distritais ligadas à rede nacional, número que deverá passar para 102 até final de 2009. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH