São Tomé e Príncipe: Linha de crédito portuguesa pode apoiar transformação de roças em pousadas

22 September 2008

Lisboa, Portugal, 22 Set – A transformação de explorações agrícolas (roças) desactivadas em São Tomé e Príncipe pela Pousadas de Portugal pode vir a contar com o apoio da linha de crédito portuguesa, afirmou sexta-feira em Lisboa o presidente são-tomense.

Fradique de Menezes disse que a possibilidade de as Pousadas de Portugal, do grupo Pestana, acederem a fundos da linha, de 50 milhões de euros, foi levantada esta semana junto do primeiro-ministro português, José Sócrates, pelo congénere são-tomense, Rafael Branco, em visita a Lisboa.

Para o presidente são-tomense, seria uma solução para recuperar e rentabilizar algumas roças são-tomenses, até porque actualmente “não há meios para se poder recuperar aquelas casas”, grande parte pertencente ao Estado.

O grupo Pestana é actualmente o principal investidor português no arquipélago, dispondo de uma unidade hoteleira de quatro estrelas, o Hotel Miramar (65 quartos) na cidade de São Tomé, a que se junta a gestão de um hotel de quatro estrelas no Ilhéu das Rolas, o Pestana Equador (70 quartos).

Recentemente, inaugurou uma nova estância, composta por hotel de cinco estrelas (115 quartos), discoteca, casino, centro de escritório e condomínio de 54 moradias.

É também accionista da EuroAtlantic, que tem o controlo da gestão da nova transportadora aérea são-tomense, STP Airways, que no final de Agosto passou a ligar Lisboa e São Tomé. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH