Moçambique: Instituto de Fomento do Caju quer aumentar a produção de castanha de caju para 250 mil toneladas por ano

17 October 2008

Maputo, Moçambique, 17 Out – Moçambique pretende aumentar a produção de castanha de caju para 250 mil toneladas por ano, no prazo de cinco a dez anos, tornando-se de novo num dos maiores produtores mundiais, disse hoje ao jornal Notícias Santos Frijone, do Departamento de Economia do Instituto de Fomento do Caju (INCAJU).

Para atingir a produção prevista o programa do INCAJU pretende aumentar a muda anual de plantas de 1,5 milhões para 3 milhões.

Nos últimos anos, em consequência da pulverização de plantas, por um lado, e replantio de novas espécies tolerantes e resistentes a pragas, por outro, o sector tem estado a registar melhorias, o que permite actualmente uma produção média anual estimada em 80 toneladas de castanha.

Durante os anos 70 Moçambique chegou a ser considerado o maior produtor mundial de caju.

Em finais da década de 80 o sector começou a conhecer uma significativa redução, devido a factores relacionados com o clima, envelhecimento de plantas e, ainda, ao aparecimento de pragas e doenças.

Na década 90 a produção de caju quase desapareceu em Moçambique na sequência da entrada em vigor de políticas desajustadas aconselhadas pelo Banco Mundial.

Santos Frijone disse que o INCAJU, como instituição, está em condições de produzir as mudas, mas a maior fragilidade verifica-se mais no acompanhamento pós-produção, distribuição das mudas e assistência técnica aos produtores até que estas mudas se transformem em plantas.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH