Moçambique: Nova refinaria no sul de Moçambique custa 6,7 mil milhões de dólares

4 November 2008

Maputo, Moçambique, 4 Nov – O distrito de Matutuíne, sul de Moçambique, pode ser o local escolhido para a construção de uma nova refinaria de petróleo, com capacidade para processar 350 mil barris diários, afirmou segunda-feira em Maputo Fausto Cruz, director-executivo da OilMoz Holding.

Cruz adiantou que a construção da refinaria, avaliada em 6,7 mil milhões de dólares e que passará agora por um estudo de viabilidade, é o resultado de uma parceria entre a Shell e a OilMoz.

A OilMoz Holding tem como accionistas Leonardo Simão, antigo ministro dos Negócios Estrangeiros de Moçambique e director-executivo da Fundação Joaquim Chissano, ex-Presidente moçambicano, e Fausto Cruz.

A Fundação Joaquim Chissano, que não detém nenhuma participação accionista no empreendimento, terá a seu cargo a componente da responsabilidade social, desenvolvendo iniciativas de apoio às comunidades do distrito de Matutuíne, onde será implantada a refinaria, e o treino do pessoal a ser recrutado para o empreendimento.

Os estudos de viabilidade do projecto serão realizados pela multinacional de consultoria Price House Coopers e pela Petróleos de Moçambique (Petromoc).

A construção da refinaria começará em 2009 e vai terminar em 2013 e o projecto prevê ainda uma fábrica de derivados petroquímicos, uma central termoeléctrica a gás, uma estação de tratamento de resíduos, um parque de tanques para armazenamento de combustíveis e um eventual terminal portuário offshore, para o transporte do petróleo em rama.

No ano passado, a Ayr-Petro-Nacala, da norte-americana Ayr Logistics, anunciou também a construção de uma refinaria na cidade portuária de Nacala, na província de Nampula, norte de Moçambique. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH