Angola: Vidreira sem espaço para armazenar matérias-primas em Luanda

19 November 2008

Luanda, Angola, 19 Nov – A empresa Vidreira de Angola (Vidrul), localizada no município de Cacuaco, em Luanda, está a enfrentar dificuldades para o armazenamento de matérias-primas para suportar a sua produção diária, afirmou segunda-feira o director administrativo da empresa.

João Francisco Carolino disse que a empresa, fundada em 1960, vê-se impossibilitada de aumentar a sua produção uma vez que as construções que vão surgindo na zona, sem qualquer espécie de ordenamento, tem vindo a reduzir o espaço disponível para que a empresa possa armazenar as matérias-primas de que necessita para laborar.

Salientando ter sido já pedido o auxílio da administração municipal para ajudar a direcção da empresa a encontrar uma solução para o problema, João Francisco Carolino adiantou que a Vidrul enfrenta igualmente dificuldades no fornecimento de energia eléctrica, água e de combustível.

Informou que para o ano 2009 a empresa tem nas suas previsões o fabrico de 300 milhões de garrafas, contra 120 milhões da produção planificada para o ano em curso.

O administrador municipal de Cacuaco, Carlos Alberto Cavuquila, prometeu trabalhar com o grupo técnico da circunscrição para resolver o problema de espaço da única vidreira do país.

A Vidreira de Angola é uma empresa especializada na produção de vasilhame para as empresas que trabalham com garrafas, entre elas as cervejeiras e fábricas de refrigerantes.

A empresa dispõe actualmente de seis hectares de terreno, contra os anteriores 72 hectares. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH