Angola: Desenvolvimento do Bloco 32 rentável só com barril acima dos 60 dólares – Total

14 January 2009

Paris, França, 14 Jan – O desenvolvimento do Bloco 32 do “offshore” angolano só é rentável com o preço do barril de petróleo acima dos 60 dólares, um terço mais do que a cotação actual, afirmou terça-feira em Paris o vice-presidente da petrolífera Total.

Segundo Laurent Maurel, vice-presidente para assuntos estratégicos da petrolífera francesa, o barril deverá valorizar para próximo dos 60 dólares para que possa ser desenvolvido de forma rentável o Bloco 32 de águas profundas angolanas.

Maurel não referiu quando a Total terá de decidir sobre o desenvolvimento do Bloco 32.

A Sonangol é a concessionária do Bloco 32, localizado na bacia do Quanza, enquanto a Total (operadora) conta com uma participação de 30 por cento.

Os outros parceiros do Bloco 32 são a Marathon Oil Company (30 por cento), Sonangol (20 por cento), Esso Exploration and Prodution Angola (15 por cento) e Petrogal (5 por cento).

Além do Bloco 32, a Total em Angola está representada no Blocos 17, o mais importante para a petrolífera, com uma produção de 500 mil barris/dia, estando previsto um aumento para 700 a 800 mil barris diários, com a entrada em produção do projecto Pazflor, em 2011.

Tem ainda participações em vários blocos petrolíferos angolanos, com quotas menores. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH