Moçambique: Botswana analisa portos moçambicanos para exportação de carvão

16 February 2009

Maputo, Moçambique, 16 Fev – As autoridades mineiras do Botswana estão a considerar a possibilidade de utilizar o porto da Matola, na província do Maputo, para a exportação do carvão produzido naquele país, afirmou Kgomotso Abi, director de Minas do Botswana.

De acordo com o jornal Notícias, de Maputo, Kgomotso Abi afirmou ainda que a indústria de carvão do país vai também explorar a possibilidade de utilizar os caminhos-de-ferro da Namíbia, indo ser lançado, em breve, um estudo de viabilidade económica sobre uma ligação ferroviária de 1500 quilómetros das minas de carvão do Botswana até um porto namibiano.

“Temos uma capacidade limitada de consumo de carvão. Por isso decidimos centrar-nos na exportação”, disse Abi, citado pela imprensa de negócios do Botswana, falando durante a conferência sobre exportação de carvão, onde anunciou que o seu país possui reservas avaliadas em 200 mil milhões de toneladas, sendo que apenas três mil milhões a cinco mil milhões podem ser economicamente aproveitadas.

Para além da Companhia Morupule, que explora cerca de um milhão de toneladas de carvão por ano para alimentar, essencialmente, uma estacão eléctrica, não há outras minas consideráveis no país.

Para dar seguimento ao projecto mineiro de carvão, as autoridades mineiras do Botswana estão a alistar companhias interessadas em operar no sector local, ao mesmo tempo que se trabalham sobre as condições para a construção de linhas férreas destinadas a facilitar o transporte deste minério.

O porto da Matola concorre com o porto sul-africano de Richard’s Bay, mas o novo porto Dobela, a construir no distrito de Matutuíne, para responder a um possível congestionamento do da Matola, poderá jogar em favor de Moçambique.

O facto de este novo empreendimento portuário moçambicano ser de águas profundas, situar-se numa zona franca industrial e ter uma previsão de capacidade de manuseamento superior ao total dos 14 portos existentes em Moçambique, constitui a razão principal da atracção da futura infra-estrutura aos olhos da indústria mineira do Botswana.

Os planos do Botswana sobre o uso de portos moçambicanos surgem na sequência da decisão de diversificar as fontes de receitas e dar maior atenção ao carvão, em alternativa aos diamantes, de que depende grandemente a economia do país. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH