Moçambique: BCP estuda entrada em novos mercados africanos através do Millennium bim

23 February 2009

Maputo, Moçambique, 23 Fev – O Millennium bim, controlado pelo português BCP, está a estudar a entrada em novos mercados africanos limítrofes, para aproveitar a inter-relação entre as economias destes países, afirmou sábado em Maputo o presidente executivo do banco.

Malawi e Zâmbia, que fazem um corredor com Angola, são mercados que uma equipa do Millennium bim está já a estudar, com abordagens a empresas que operam simultaneamente nesses países e em Moçambique, mas a internacionalização pode passar também pelo Botswana e Tanzânia, adiantou João Figueiredo.

O aumento do capital social para mais do dobro feito por incorporação de reservas, que o Conselho de Administração vai propor aos accionistas na assembleia de 25 de Março, também “fortalece o banco” para “se lançar noutras áreas”, como frisou Armando Vara, vice-presidente do BCP e administrador do Millennium bim.

A posição geográfica é também considerada “estratégica para fazer a interligação de economias desses países” e dos principais “jogadores” nesses mercados, sustentou João Figueiredo, citando exemplos de muitas empresas, desde grandes produtores agrícolas a redes de distribuição e comércio, construtoras e outras, que actuam simultaneamente em Moçambique e vários desses países.

Em 2008, o Millennium bim aumentou 20 por cento os resultados operacionais e 25 por cento o lucro, para 51 milhões de euros.

O banco é detido maioritariamente pelo BCP, que tem 66,69 por cento do capital, e o segundo maior accionista é o estado moçambicano, que tem 17,16 por cento do capital e outras participações através de organismos estatais. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH