Macau: Consórcio franco-português vai prestar serviços de gestão no projecto da primeira fase do futuro metro ligeiro

2 March 2009

Macau, China, 02 Mar – O governo de Macau adjudicou a um consórcio franco-português por 22 milhões de dólares (176.202.490 patacas) a prestação de serviços de gestão de projecto e assistência técnica para a execução da primeira fase do sistema de metro ligeiro do território.

O anúncio, feito na sexta-feira, refere que o consórcio formado pelas empresas Fase (Portugal), EGIS Rail (França) e Setec its”(França) tem 46 meses para proceder à análise e avaliação final do traçado e das estações do actual projecto da primeira fase do metro ligeiro, a fim de definir o traçado final que terá 20 quilómetros de comprimento.

O consórcio irá também prestar apoio ao Gabinete para as Infra-estruturas de Transportes (GTI) na preparação dos concursos para a aquisição do material circulante e as empreitadas de construção civil.

Segundo o GTI o consórcio irá igualmente analisar “o modelo de gestão, forma de exploração, captação de passageiros, custos do projecto e preparar os cadernos de encargos para o processo de adjudicação do fornecimento do sistema e material circulante e das empreitadas de concepção/construção de construção civil”.

O GIT refere num comunicado que “pretende, em primeiro lugar, lançar o procedimento de concurso para a aquisição do material circulante no segundo semestre do corrente ano”.

Ainda de acordo com a mesma informação, numa fase seguinte o GTI vai proceder de forma faseada à abertura dos concursos de algumas obras de construção civil tentando dar início à execução de uma parte das obras também durante 2009.

Anteriormente o governo anunciara que as primeiras obras para a construção do sistema de metro ligeiro de Macau seriam lançadas em 2008 num investimento global de mais de 520 milhões de dólares (4,2 mil milhões de patacas), segundo revela a agência MacauNews.

O comboio ligeiro terá 23 estações entre a fronteira com a China e o terminal marítimo de Pac On, na ilha da Taipa.

O metro, que poderá estar concluído em 2011, funcionará 19 horas por dia e terá capacidade para transportar 8.000 passageiros por hora.

O governo está entretanto a estudar a construção de duas outras linhas, uma para servir o Porto Interior e uma outra para a ilha da Taipa. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH