Moçambique: Governo moçambicano aumenta produção de gás natural

12 March 2009

Maputo, Moçambique, 12 Mar – O governo de Moçambique decidiu terça-feira aumentar a capacidade de produção e processamento do gás natural de Pande e Temane dos actuais 120 milhões para 183 milhões de gigajoules por ano, anunciou em Maputo o porta-voz do Governo, Luís Covane.

Covane adiantou que o Governo também apreciou e adoptou o Plano de Desenvolvimento do Gasoduto que liga Temane, província de Inhambane, sul de Moçambique, a Secunda, na África do Sul, para aumentar a capacidade de transporte deste recurso.

Com a expansão do empreendimento estarão garantidas quantidades adicionais de gás natural para o mercado moçambicano, o que vai permitir o aparecimento de novos projectos de desenvolvimento no país, caso da Central Térmica a Gás, a ser construída, a partir de 2012, no distrito da Moamba, extremo Sul de Moçambique.

Esta central deverá consumir 27 milhões de gigajoules por ano.

Em Moçambique, o gás natural foi descoberto em 1962, quando a Gulf Oil fazia prospecção nos campos de Pande. Depois de vários anos de tentativas da sua exploração industrial, os governos de Moçambique, a empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH) e a petroquímica sul–africana Sasol chegaram a uma série de acordos históricos que permitiram o primeiro passo em direcção ao desenvolvimento da indústria de gás natural na África Austral.

Estes acordos culminaram com a construção do gasoduto ligando os campos de Temane e Pande, em Moçambique, e Secunda, na África do Sul.

O gasoduto entre Moçambique e a África de Sul tem um comprimento de de 895 quilómetros, sendo 551 quilómetros em território moçambicano e os restantes 344 na África do Sul. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH