Moçambique: Governo moçambicano põe termo ao monopólio na importação de combustíveis

13 March 2009

Maputo, Moçambique, 13 Mar – O governo de Moçambique anunciou um conjunto de medidas para facilitar o acesso das pessoas à energia e para reduzir o esforço exigido às finanças do Estado, informou quarta-feira em Maputo a imprensa local.

O governo anunciou planos, entre outros, para pôr termo ao monopólio da importação de combustíveis, investir 8,5 mil milhões de dólares na execução de um plano a quatro anos para expandir o abastecimento de energia eléctrica e o aumento da produção de gás natural para os mercados doméstico e internacional.

A Imopetro (Importadora Moçambicana de Petróleos), empresa privada controlada pelas empresas de distribuição que operam em Moçambique, deixará de ser a única companhia a poder importar combustíveis, uma decisão que visa reduzir a factura energética, de acordo com Luís Covane, que além de porta-voz do governo é igualmente vice-ministro da Educação, Juventude e Desportos.

“Em 2004 gastámos 400 milhões de dólares por ano na importação de combustíveis e no ano passado essa factura disparou para 750 milhões de dólares”, disse o porta-voz do governo.

Covane acrescentou que aqueles números indicam ser urgente adoptar medidas que permitam contrabalançar a instabilidade dos preços do petróleo nos mercados internacionais.

O Plano Estratégico para o Sector da Energia 2009-2013 visa aumentar o número de pessoas com acesso à energia eléctrica, sendo a taxa de cobertura actual de apenas 14 por cento, muito abaixo da taxa de 80 por cento existente na vizinha África do Sul. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH