Angola: Companhia de Bioenergia de Angola terá fábrica a funcionar até 2012

18 March 2009

Brasília, Brasil, 18 Mar – A Companhia de Bioenergia de Angola (Biocom), uma parceria angolano-brasileira, vai investir na plantação de cana-de-açúcar e construção de uma fábrica para produzir açúcar, etanol e bioelectricidade no município de Cacuso, província de Malanje, até 2012.

A empresa é uma parceria entre a brasileira Norberto Odebrecht, o grupo privado angolano Damer e a estatal petrolífera Sonangol, estando previstos investimentos de 258 milhões de dólares e a ocupação de 30 mil hectares de área agrícola.

O projecto foi idealizado com o objectivo de reduzir as importações de açúcar e também o consumo de combustíveis fósseis em Angola, de acordo com o director-executivo da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Eduardo Leão de Sousa.

De acordo com Leão de Sousa, Angola apresenta forte aptidão agrícola, especialmente para a produção de bicombustíveis, pois tem excelentes condições agro-climáticas e grande disponibilidade de terras aráveis.

Embora Angola tenha semelhanças com o Brasil em termos de clima e disposição de terras aráveis para a plantação de cana-de-açúcar, ao contrário do caso brasileiro, em Angola, o cultivo de cana será destinado prioritariamente para fabrico de açúcar, a fim de reduzir os volumes do produto importados anualmente.

Além de o Brasil transferir para os angolanos todo seu conhecimento adquirido em mais de 30 anos de pesquisas na produção de biocombustíveis, a construtora brasileira Norberto Odebecht estará presente também na execução e gestão do projeto.

A empresa realiza negócios há 21 anos em Angola, e terá 40 por cento de participação na parceria que deu origem à Biocom, que ainda terá o grupo privado angolano Damer (40 por cento) e a estatal petrolífera Sonangol (20 por cento) como sócios.

A previsão é de que em 2012, ano que a construção da fábrica ficará concluída, sejam produzidos 30 milhões de litros de etanol, 250 mil toneladas de açúcar e 160 mil megawatts/hora (mwh) por ano de bioeletricidade, produção que servirá, inicialmente, para abastecer apenas o mercado interno. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH