Angola: Sector do diamantes é o que mais se ressente da crise financeira, diz primeiro-ministro

20 March 2009

Luanda, Angola, 20 Mar – O sector dos diamantes é o que mais se ressente em Angola dos efeitos da crise financeira e económica internacional, cujo preço de comercialização caiu mais de 40 por cento, afirmou quinta-feira em Luanda o primeiro-ministro, António Kassoma.

De acordo com o primeiro-ministro, que falava aos deputados durante o plenário que serviu para interpelar o executivo sobre a crise financeira e económica internacional e os seus efeitos na economia angolana, os projectos diamantíferos de pequena dimensão correm o risco de se tornarem “inviáveis” do ponto de vista económico e financeiro.

O primeiro-ministro informou que para apoiar o sector, o Estado está a intervir na compra das produções de diamantes enquanto os preços estiverem em baixa para permitir a continuidade das empresas produtoras.

“Para o efeito, foi celebrado um memorando de entendimento entre o ministérios da Geologia e Minas, das Finanças e o Banco Nacional de Angola para cuidar dos aspectos operacionais relativos à aquisição e alienação dos diamantes adquiridos pelo Estado”, salientou o primeiro-ministro.

Na interpelação, de iniciativa do grupo parlamentar do partido no poder, MPLA, António Kassoma informou os deputados que a queda dos preços dos principais produtos de exportação resultará numa redução das receitas fiscais.

O primeiro-ministro anunciou ainda que, no quadro da implementação dos grandes programas de investimentos, o Governo está a renegociar os contratos de empreitada já celebrados para adequá-los à capacidade financeira do Estado.

“A despesa orçamentada de bens e serviços será também reduzida em 35 por cento”, disse. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH