Moçambique: Governo aumenta expectativa do PIB para 6,7 por cento

25 March 2009

Maputo, Moçambique, 25 Mar – A primeira-ministra de Moçambique, Luísa Diogo, afirmou terça-feira em Maputo que o Governo vai trabalhar para conseguir obter um crescimento económico de 6,7 por cento este ano, contra a previsão de cinco por cento feita pelo banco central.

Luísa Diogo admitiu a possibilidade de Moçambique superar as projecções iniciais do seu Produto Interno Bruto (PIB), quando falava numa palestra promovida pela Associação Moçambicana dos Economistas, dedicada ao tema “Crise Financeira: Desafios e Oportunidades”.

“A perspectiva de crescimento para a nossa economia, após o reajustamento feito, estará em torno dos seis por cento em 2009. É verdade que o Banco de Moçambique projectou um crescimento de cinco por cento, mas continuamos a batalhar para ver se na avaliação que faremos no desempenho do primeiro semestre atingiremos 6,7 por cento, ou então teremos que ajustar novamente a nossa economia”, afirmou Diogo.

A governante não apontou os motivos da revisão em alta do comportamento da economia moçambicana este ano, cuja projecção inicial apontava para um crescimento não superior a cinco por cento.

Sobre o impacto da crise financeira e económica internacional, Luísa Diogo referiu que os seus efeitos já alastraram a Moçambique, apontando a redução de 50 por cento do preço de alumínio, uma das principais exportações do país, no mercado internacional, como um das manifestações negativas do resultado da actual conjuntura.

Diogo apontou ainda que o número de passageiros de companhias aéreas internacionais com ligações com Moçambique diminuiu 25 por cento, na sequência da crise económica e financeira internacional.

Ainda na terça-feira, o governador do Banco de Moçambique, Ernesto Gove, afirmou que o crescimento do PIB poderá não exceder 5 por cento este ano depois de 6,5 por cento em 2008 uma vez que a recessão global está a afectar as exportações de Moçambique.

“Admitindo que as exportações poderão este ano cair 25 por cento (…) pode-se esperar um crescimento do PIB entre 5 e 6 por cento”, disse Gove, para acrescentar que as projecções do banco central apontam para um crescimento de apenas 5 por cento. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH