Moçambique tem potencial para produzir semente de batata-reno

8 April 2009

Maputo, Moçambique, 8 Abr – Moçambique pode deixar de importar semente de batata-reno e passar a produzi-la localmente bastando para o efeito aproveitar as condições agro-ecológicas que algumas regiões oferecem, afirmou o director do Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM).

De acordo com o jornal Notícias, de Maputo, Calisto Bias disse que a região montanhosa de Socera, na província de Manica, é a que actualmente apresenta condições específicas e que, a ser aproveitada, o país deixaria de importar a semente daquele tubérculo, cuja cultura está na fase de relançamento.

O plano de produção de alimentos 2008-2011, desenvolvido pelo Ministério da Agricultura, prevê que a cultura de batata-reno, cujo cultivo maciço foi relançado em 2005, vai atingir, até 2011, um rendimento de cerca de 72 mil toneladas, quantidade suficiente para satisfazer em cerca de 83 por cento as necessidades de consumo nas zonas urbanas e periurbanas do país.

Para o efeito, prevê-se uma evolução das áreas de cultivo na ordem de 1800 hectares na campanha agrícola 2008/09, 2500 e 4000 hectares nas épocas agrícolas 2009/10 e 2010/11, respectivamente.

Durante as três campanhas acima referidas prevê-se um investimento total na ordem de 955 milhões de meticais, dos quais cerca de 73 milhões em programas de pesquisa, nove milhões na importação de sementes, 845 milhões em crédito bonificado para os produtores e cerca de 26 milhões de meticais para disponibilização de fertilizantes e pesticidas.

A actual produção moçambicana de batata-reno é de cerca de 81 mil toneladas, representando um défice de cerca de 174 mil toneladas, atendendo a que as necessidades de consumo são de cerca de 256 mil toneladas. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH