Angola: Governo investe mais de oito mil milhões de dólares no relançamento da indústria

24 April 2009

Luanda, Angola, 24 Abr – O Governo angolano prevê aplicar 8,69 mil milhões de dólares na execução do Programa Executivo do Sector da Indústria Transformadora no período 2009/2012, informou quinta-feira, em Luanda, o vice-ministro da Indústria, Kiala Gabriel.

Ao falar na conferência nacional sobre o Relançamento da Indústria Transformadora, aberta quinta-feira pela ministra do Planeamento, Ana Dias Lourenço, o vice-ministro disse tratar-se de um valor a ser dividido em vários subprogramas, como o de reconstituição do capital humano com um orçamento de 86 milhões de dólares e de criação de infra-estruturas de apoio ao desenvolvimento industrial com uma verba de 397 milhões de dólares.

De igual modo, avançou o governante citado pela agência noticiosa angolana Angop, serão investidos 4,1 mil milhões de dólares na execução do subprograma de substituição de importações e fomento de exportações, 71 milhões no subprograma de reforço institucional e quatro mil milhões de dólares nas indústrias estruturantes.

Relativamente aos fundos para a execução do projecto, o vice-ministro disse que a nível interno os recursos terão como origem o Orçamento Geral do Estado, com 164 milhões de dólares e crédito bancário com garantia do Estado com 1,681 mil milhões de dólares.

As fontes externas, acrescentou, participarão com um total de 6,84 mil milhões de dólares.

Kiala Gabriel afirmou também que o Ministério da Indústria perspectiva, até 2012, a criação de 29500 postos de trabalho directos, em função do crescimento da indústria transformadora, cuja evolução, numa hipótese optimista, poderá atingir um crescimento de 28,5 por cento em 2011 e 13,1 por cento em 2012.

“As taxas médias de crescimento estão assentes nas intenções de investimentos manifestadas e, embora os números pareçam irrealistas, o impacto da maior parte dos investimentos a serem executados ainda este ano, sem contar com indústrias estruturantes, só começará a surtir efeitos a partir de 2010 com níveis de produção satisfatórios”, disse.

Kiala Gabriel afirmou, no entanto, que para a criação de empregos, no período 2009/2012, estão também incluídos outros projectos, ainda fora da lista do programa executivo, mas passíveis de serem executados no mesmo período, prevendo-se também a criação de 1043 novas empresas industriais. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH