Brasil: Governo brasileiro quer aumentar exportações para a China

13 May 2009

São Paulo, Brasil, 13 Mai – O Governo brasileiro iniciou uma ofensiva para diversificar as exportações para a China que começa com a visita que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva efectuará a Pequim na próxima semana, escreve o jornal o Estado de São Paulo.

Na viagem que fará a Pequim, o presidente Lula da Silva tentará divulgar os produtos brasileiros com maior valor acrescentado, como os aviões da Embraer ou os que enfrentem barreiras alfandegárias, como as carnes.

O presidente também quer estimular o aumento dos investimentos bilaterais.

“O presidente vai insistir nos produtos que têm grande impacto na balança comercial”, afirmou o secretário de Comércio Exterior, Welber Barral.

De acordo com Barral, o Brasil representa apenas 1,4 por cento do que a China compra no exterior e um levantamento feito pelo Ministério do Desenvolvimento aponta 26 sectores em que as empresas brasileiras poderiam ampliar a sua participação no mercado chinês.

Entre eles peças sobressalentes, produtos siderúrgicos, computadores, motores de veículos, aviões, químicos, celulose e papel, carnes e fertilizantes.

Barral afirmou que, para aumentar o comércio bilateral o governo enfrenta resistências no próprio Brasil pois os empresários mostram-se reticentes seja por questões culturais ou pelo alto custo da promoção comercial na China.

Para apoiar os empresários a Agência de Promoção às Exportações (Apex-Brasil) vai abrir um escritório em Pequim.

No primeiro quadrimestre de 2009, 76,5 por cento do que a China comprou ao Brasil foram matérias-primas e 23,1 por cento de produtos industriais enquanto a China vendeu ao Brasil 2,3 por cento de matérias-primas e 97,7 por cento de produtos industriais. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH