Angola: Consórcio português Mota-Engil/Soares da Costa vai requalificar baía de Luanda

18 May 2009

Luanda, Angola, 18 Mai – O consórcio Mota-Engil/Soares da Costa assinou sábado o contrato para a execução da vertente terrestre do projecto de requalificação da baía de Luanda, obra orçada em 127 milhões de dólares.

O concurso internacional ganho pelo consórcio português foi lançado pela Baía de Luanda, SA e a “estruturação financeira” do projecto é da responsabilidade do Banco Comercial Português (BCP) e do Banco Privado Atlântico (BPA).

A obra, a desenvolver pelas empresas portuguesas num prazo de 700 dias, redefinirá a marginal, que passará a ter seis faixas de rodagem, passando a quatro nas áreas de intersecção com outras vias.

O projecto contempla ainda uma ponte de ligação entre a marginal e a ilha de Luanda, 12 parques de estacionamento com 1600 lugares, a criação de 127 mil metros quadrados de zonas verdes, um novo sistema de esgotos e um novo sistema de iluminação pública.

A requalificação da Baia de Luanda foi decidida pelo Governo angolano em 2003 e as obras, na vertente marítima, arrancaram em 2007, tendo estado, desde meados de 2008, sem avançar.

Na área marítima, que se encontra na terceira fase, de acordo com documentação oficial, o destaque vai para a abertura de um canal e a dragagem de uma vasta extensão da baía, que permitiu ganhar entre 50 e 150 metros de território ao mar ao longo da marginal que liga a ilha de Luanda ao porto da capital angolana.

A despoluição da baia, com a remoção de sedimentos contaminados do fundo, numa área de 180 mil metros quadrados, é outro dos grandes objectivos do projecto global. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH