Linha férrea do Sena, Moçambique, está a ser vandalizada

19 June 2009

Maputo, Moçambique, 19 Jun – A reconstrução da linha férrea do Sena deverá ficar concluída apenas em Setembro mas já está a ser vandalizada por desconhecidos que roubam parafusos de fixação das travessas para usá-los como pesos de redes de pesca artesanal, de acordo com o jornal Notícias, de Maputo.

De acordo com Cândido John, director executivo da brigada de reconstrução da linha de Sena, mais do que os danos causados ao projecto devido às constantes necessidades de reposição do material roubado, o fenómeno suscita preocupação fundamentalmente pelo perigo que representa à segurança ferroviária, numa via onde recentemente foi reposta a circulação do comboio de passageiros.

A retirada de parafusos de fixação de travessas pode, segundo Cândido John, levar ao descarrilamento de comboios, numa linha que está a ser preparada para suportar o trânsito de milhões de toneladas de carga para o porto da Beira, nomeadamente o carvão de Moatize.

António Libombo, director de Comunicação e Imagem da CFM, disse ao Notícias que a vandalização dos postos de quilometragem (placas de betão colocados ao longo da linha para indicar as distâncias) ocorre com frequência na região de Inhaminga, onde os ladrões destroem os pilares para retirar o ferro que posteriormente afiam em laboriosos processos manuais para uso na caça ilegal de animais na reserva de Marromeu e não só.

Sobre as obras do projecto, Cândido John disse ao jornal que presentemente as obras estão a cerca de dois quilómetros de Doa, em Tete, que as equipas deverão alcançar dentro de aproximadamente uma semana.

De acordo com Cândido John o empreiteiro terá de assegurar que sejam concluídos pelo menos 42 quilómetros por mês para cobrir os 150 quilómetros que vão de Doa a Moatize, dado faltarem cerca de 3,5 meses para o fim do prazo estabelecido para a conclusão da obra. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH