Fábrica de anti-retrovirais em Moçambique deverá começar a funcionar em 2010

23 June 2009

Maputo, Moçambique, 23 Jun – A fábrica moçambicana de anti-retrovirais entrará em funcionamento entre Dezembro e Janeiro próximos, garantiu em Maputo o embaixador do Brasil em Moçambique, António Sousa e Silva, citado pelo jornal Notícias, de Maputo.

A ficar instalada na antiga Fábrica de Soros da Matola, o empreendimento vai, numa primeira fase, laborar na embalagem de anti-retrovirais fabricados no Brasil.

“Numa fase inicial Moçambique receberá grandes quantidades de medicamentos feitos no Brasil. Os técnicos moçambicanos irão trabalhar na sua embalagem em carteiras já com o selo “Made in Mozambique” e assim acontecerá até que se criem condições para a sua produção local e plena”, disse ainda o embaixador.

A entrada em funcionamento da fábrica de anti-retrovirais foi sucessivas vezes anunciada e a sua efectivação ainda não ocorreu mas agora o embaixador garante que vai mesmo arrancar.

“A diferença é que agora o processo já está em curso tendo-se iniciado, há mais de um ano, com a formação de técnicos moçambicanos. Já temos inclusive um director fabril, que veio do Brasil para liderar a parte técnica do processo, pelo que é importante que se saiba que o processo é irreversível”, frisou o embaixador.

No entanto, António Sousa e Silva admitiu algum eventual atraso tendo em conta a chegada do equipamento necessário para o arranque da fábrica mas que não chegarão a afectar o ritmo que está a ser seguido.

O embaixador brasileiro disse ainda não ter dúvidas de que a mão-de-obra que será maioritariamente moçambicana e acrescentou que, para além do empacotamento de anti-retrovirais, a nova fábrica vai activar o processo de fabrico de soros. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH