Malawi pretende construir oleoduto entre Nsanje e o porto moçambicano da Beira

29 June 2009

Lilongwe, Malawi, 29 Jun – O presidente do Malawi, Bingu Wa Mutarika, renovou na semana passada o compromisso do seu governo de construir um oleoduto ligando o porto moçambicano da Beira a Nsanje, visando garantir o fornecimento regular de combustível ao Malawi.

De acordo com a Rádio Moçambique, o presidente, que falava na sessão inaugural do parlamento do Malawi saído das eleições gerais de Maio passado, disse que o projecto prevê igualmente a construção de um depósito em Nsanje, permitindo desta forma ao Malawi dispor de combustível suficiente para três meses, contra os actuais quinze dias.

Em 2008, algumas regiões do Malawi, incluindo a capital Lilongwe, sofreram restrições no fornecimento de combustível devido à constante ruptura de stocks, afectando a sustentabilidade da economia malawiana.

Estudos preliminares estimam em 150 milhões de dólares o custo da construção do oleoduto Beira-Nsanje e o projecto poderá ser financiado pela Venessia Petroleum, uma companhia petrolífera do Qatar, que está a preparar-se para lançar os estudos de viabilidade e de engenharia.

Com a construção do oleoduto, o Malawi passará a dispor de combustível suficiente no país e a preços competitivos contrariamente ao que acontece actualmente.

O abastecimento de combustível ao Malawi é feito por via rodoviária a partir do porto da Beira ou de Dar-Es-Salaam, na Tanzânia, embora o Corredor de Nacala seja outra alternativa.

O parlamento malawiano, que terça-feira iniciou os trabalhos, deverá aprovar igualmente o empréstimo de 48 milhões de dólares concedido pelo Banco Mundial para a execução do projecto de interligação de energia eléctrica entre o Malawi e Moçambique através da Hidroeléctrica de Cahora Bassa em Tete, considerada a melhor opção para acabar com a crise de energia naquele país. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH