Água potável chegará a 70 por cento da população urbana de Moçambique até 2015

30 June 2009

Maputo, Moçambique, 30 Jun – Cerca de 70 por cento da população de Moçambique residente nas vilas e cidades terá acesso a água potável da rede pública até 2015, afirmou em Maputo o presidente do Fundo de Investimento e Património do Abastecimento de Água (Fipag).

Até 2007, por exemplo, a taxa de abastecimento cobria apenas 40 por cento da população residente nas vilas e cidades do país.

O presidente do Fipag, Nelson Beete, falava em Maputo por ocasião do lançamento de um estudo do caso da experiência moçambicana na gestão delegada do abastecimento de água urbana, volvidos 10 anos desde que o país envolve directamente o sector privado na provisão deste recurso.

O estudo aponta várias melhorias do serviço do abastecimento do recurso nas cinco cidades sob gestão delegada da Águas de Moçambique (AdeM), nomeadamente Maputo, Beira, Nampula, Pemba e Quelimane. Dos vários ganhos destaca-se o aumento dos beneficiários na ordem de 35 por cento entre 2002 e 2007.

Em termos de horas de abastecimento da água, as cidades da Beira e Quelimane é que registaram um maior aumento, passando das anteriores nove horas para 24 em 2007.

Pemba e Nampula subiram de 17 para 22 horas, enquanto que a capital do país saiu de uma situação em que tinha água nas torneiras 12 horas para 14.

Comparativamente às restantes redes, Nelson Beete disse que a de Maputo é a maior e aquela em que os resultados demoram a ser vistos. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH