Portugal cria linha de crédito para empresas que invistam na Ilha de Moçambique

24 July 2009

Maputo, Moçambique, 24 Jul – Portugal assinou quinta-feira com Moçambique um acordo que permite a empresas portuguesas acederem a créditos bonificados para investirem na ilha de Moçambique, e alargou por mais um ano o acordo de cooperação existente.

Os acordos foram assinados entre o governo de Moçambique (vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Henrique Banze) e o secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, João Cravinho.

Parte da cooperação com Moçambique centra-se no apoio à Ilha, onde Portugal financiou a recuperação da fortaleza, criando agora o FECOOP, um fundo de cerca de 5,7 milhões de euros para apoiar empresas que queiram investir na Ilha e na zona envolvente.

“Trata-se de um fundo da ordem de 8,5 milhões de dólares”, disse João Cravinho, explicando que com esse dinheiro empresas de direito moçambicano (com sede em Moçambique mas que podem ser estrangeiras) podem investir valores “na ordem dos 60 ou 70 milhões de dólares”, que serão bonificados com o fundo agora criado.

O secretário de Estado disse que há uma “grande abertura” para as áreas de financiamento, mas acrescentou que serão privilegiadas as (empresas) que queiram investir na agricultura ou construção.

“Os serviços também podem aceder a este crédito”, nomeadamente os ligados ao turismo, referiu.

A visita do governante português serviu também para prolongar por mais um ano o que devia terminar no final deste ano mas que se vai estender até 2010.

O Programa Indicativo de Cooperação (PIC) vai ser prolongado até 2010. Com o acordo Portugal disponibiliza mais 15 milhões no próximo ano mas dentro do mesmo programa.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH